Início » Comportamento Animal » Psicologia Canina

O que é Psicologia Canina?

condicionamento-operante-caes-cachorros-comportamento-canino-psicologia-animal-helena-truksa
Condicionamento operante

Psicologia Canina, assim como a Psicologia Humana, é, a princípio, relacionada ao estudo da mente. De fato, experimentos iniciais, conduzidos por cientistas notáveis no campo, como Freud e Pavlov, foram quase que exclusivamente conduzidos em animais, pois acreditava-se que os processos de pensamento dos animais e dos homens não diferissem significativamente, exceto pelo nível de complexidade.

Logicamente, é possível assumir que os cães fiquem mais que felizes em deitar-se no sofa, porém, eles não são capazes de dizer através de palavras o que e como estão se sentindo.  Assim sendo, para se compreender como um cão pensa, devemos avaliar e analisar seucomportamento em relação a um determinado estímulo ou ambiente, e como o cão interage com tais estímulos e com aqueles que o cercam, sejam humanos ou animais.

Os cães são capazes de se comunicar de diferentes formas. Eles se comunicam através da vocalização, sendo que a maioria dos sons classifica-se em quarto grupos (rosnados, latidos, uivos e choramingos). Dentro destes grupos, a frequência, o volume e o “pitch” variam para determiner diferentes mensagens. Todos entendemos o significado de um rosnado, utilizado primariamente para ameaçar ou advertir, contudo, um latido pode informar qualquer coisa, desde alerter outros membros do grupo sobre a aproximação de um estranho, ou até mesmo dizer “encontrei algo interessante, por que vocês não vêm ver?!”.

Cães também se comunicam pelo uso da linguagem corporal, utilizando seja o corpo todo, ou as orelhas, os olhos, a cauda ou a boca, ou até mesmo uma combinação destes para determiner significados específicos. Quando se considera estes fatores, é fácil entender porque tantas pessoas são contra a amputação da cauda e o corte das orelhas procedimentos – até certo tempo atrás – comuns  de se realizar em determinadas raças. Cortar caudas e orelhas afeta diretamente a comunicação dos cães.

Eles também utilizam a comunicação olfatória, já que possuem um olfato altamente desenvolvido. Os cães utilizam o olfato para captar mensagens deixadas por outros cães, que podem significar, por exemplo “este é meu território”.

É extremamente importante compreender como um cão aprende os comportamentos que manifesta, de modo a analisar como os problemas de comportamento têm início.

Uma das maneiras mais comuns em que os cães aprendem é através do condicionamento classic, demonstrado pelos conhecidos experimentos conduzidos por Pavlov, no início dos anos 1900. Ele observou que os cães frequentemente salivavam antes de ao menos verem a comida, dentro de determinadas circunstâncias, como por exemplo quando se retirava sua vasilha de ração vazia (antes de terem se alimentado, logicamente). Pavlov utilizou um determinado estímulo sempre que o cão recebia a refeição: uma sineta. Muito rapidamente, o cão começou a salivar ao ouvir o som da sineta, mesmo quando a comida não estava presente. Condicionamento, entretanto, é mais complex do que parece a princípio, pois se a sineta fosse tocada continuamente sem a comida, os cães começariam a não mais apresentar a resposta condicionada (a salivação). Esta é uma lição valiosa para se lembrar durante o treinamento.

Outra forma pela qual um cão aprende é por condicionamento operante, o que basicamente significa que o comportamento é “modelado” e mantido por suas consequências, por exemplo o uso de alimentos no treinamento como recompense seria classificado como condicionamento operante com reforço positivo.

condicionamento-operante-caes-cachorros-comportamento-canino-psicologia-animal-helena-truksa-pavlov-condicionamento-classico-300x216
Ilustração de um experimento de Pavlov - condicionamento clássico

Muitos proprietários consideram que os processos de pensamento canino são exatamente os mesmos dos humanos, e a maioria das dificuldades dos donos surgem por conta deste engano. Os cães, de fato, são capazes de muitos dos processos mentais que nós humanos temos, porém, em um nível muito mais básico, e os cães certamente não possuem o senso de certo e errado em termos de códigos morais ou éticos. Assim, eles não têm o senso de culpa, e este conceito é frequentemente um dos mais difíceis dos proprietários compreenderem. Esta é a razão pela qual o cão não aprende bem através de punições.

Enquanto a maioria dos comportamentos é aprendida, também é importante lembrar que alguns comportamentos são herdados como parte da carga genetic do cão, por exemplo a necessidade de procurer por comida mesmo sabendo que o animal está bem alimentado.

Todos os cães percebem eles mesmos, a seus donos e quaisquer outros animais dentro das dependências da casa, como parte do mesmo grupo social – matilha – , e é a posição que eles percebem de si mesmos que faz com que eles ajam da forma como agem em relação aos demais membros do grupo. A maioria dos comportamentos caninos inapropriados surge por conta deste fato.

Apesar de muito básica, espero que esta informação possa lhe dar ao menos uma ideia do tipo de situações que, nós, da Ethos Psicologia Animal, lidamos diariamente. O universe do psicólogo canino é muito diferente do universo dos adestradores – treinadores – de cães, pois os adestradores, na maioria das vezes, ensinam aos donos como lidar e controlar comportamentos normais de seus cães. Os psicólogos caninos analisam profundamente o comportamento de um cão enquanto indivíduo e cria um programa de modificação comportamental, que o proprietário aplica no dia-a-dia.

Helena Truksa – Bióloga (USP)

Especialista em Comportamento Animal