Início » Blog Comportamento Animal e Adestramento de Cães Ethos Animal » Cães idosos podem aprender?

Pastor Alemão idoso, disponível em Flikr de kezee

Cães idosos podem aprender?

Quem não conhece o antigo ditado popular “não se ensina truque novo a um cachorro velho”, mas será verdade? Sabemos que  população canina está envelhecendo e assim como os humanos, os Pets também estão com a expectativa de vida maior e as dificuldades de um animal idoso são bem parecidas com as dificuldades de humanos idosos. Com passar do tempo articulações vão dando seus primeiros sinais de desgaste, pode ocorrer incontinência urinária, os dentes ficam mais sensíveis, pesquisas científicas indicam que os peludinhos podem até sofrer de doenças como Alzheimer.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Golden idoso. Fonte Flickr de normanack

 

Mas dizer que um cachorro idoso não poderia aprender é um pouco equivocado, o processo de envelhecimento não limita o aprendizado em si, o que acontece normalmente é um declínio de algumas atividades motoras e fisiológicas que na maioria das vezes não interferem na inteligência nem na capacidade de resolver problemas, salvo claro quando o animal possuir alguma doença degenerativa. Os cães idosos necessitam de treinos diferenciados, que respeitem suas limitações, mas são plenamente capazes de aprender coisas novas.

6251565504_cbfaa87f8f_o
Buldogue idoso, disponível em flickr de Michelle Tribe

Na verdade, o adestramento pode muitas vezes melhorar a qualidade de vida de um peludo velhinho, por exemplo, um cão idoso que sofre de incontinência urinária pode aprender a fazer xixi sob comando, e assim diminuir assaduras decorrentes do uso de fraldas. O exercício controlado também pode ser benéfico para evitar que músculos fiquem atrofiados. O importante é sempre ter um bom acompanhamento com veterinários de preferência especializados em cães idosos. Esses profissionais já estão disponíveis no mercado, e também podem contribuir para melhorar a qualidade de vida desses animais, realizando exames preventivos para diagnosticar doenças cardíacas, diabetes, entre outras que são mais comuns em animais idosos. O veterinário também pode indicar uma ração Sênior, que além de possuir componentes que ajudam na manutenção das articulações facilita a mastigação por possuir grãos menores, tendo em vista o desgaste natural dos dentes.

Muitos animais idosos acabam em abrigos, e as chances de adoção são bem menores. Normalmente isso ocorre porque a população acredita ser mais fácil ensinar um filhote ou um cão jovem. Entretanto, dependendo da dinâmica dos futuros tutores pode ser uma boa opção, a adotar um idoso, pois ele não vai ter tanta energia para gastar quanto um filhote, os adotantes não terão problemas com a troca de dentes, etc. De qualquer forma é bom ressaltar que educar exige paciência independente da idade e espécie a ser educada. Animais de porte grande tendem a envelhecer mais rápido e ficarem um pouco mais sedentários que os de porte pequeno, mas a devoção dos peludos mais velhos com certeza será a mesma de um filhote.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *