Início » Blog Comportamento Animal e Adestramento de Cães Ethos Animal » Aves

Categoria: Aves

Alex Papagaio entende o que fala Helena Truksa Especialista em Comportamento Animal

Papagaio entende o que fala!

Ainda há muito o que se estudar sobre a compreensão e uso de linguagem humana por aves da família dos Psitacídeos (papagaios, araras, cacatuas, etc), mas já se pode dizer que, de certa forma, papagaio entende o que fala.

Estudos recentes comprovam que o papagaio-cinza-africano (Psittacus erithacus) é capaz de aprender um grande número de palavras e usar esse vocabulário para expressar seu interesse por algum objeto que ele queira, ou por alguma comida específica.

A pesquisadora norte-americana Irene Pepperberg vem desenvolvendo experimentos científicos com essa espécie de ave já há mais de 22 anos, e assegura que eles conseguem formar conceitos complexos como a relação de “igualdade e diferença”.

Ela ensina alguns nomes de objetos ao papagaio, e os apresenta a ele. Então, com os objetos numa bandeja, lado a lado, em frente à ave, Pepperberg pergunta “Qual a diferença?”. E o animal responde: “Cor”.

São vários objetos de cores variadas e formatos iguais.

Ela pode perguntar também, sobre o mesmo grupo de objetos, “Qual a semelhança?”, ao que o papagaio responde “Forma”.

Esse é apenas um breve exemplo das capacidades mentais de animais incríveis, como os papagaios. Cães também demonstram ter uma grande capacidade intelectual, mas esse tema será abordado em outra oportunidade.

Você pode querer saber mais sobre este assunto. Então visite www.alexfoundation.org.

cuidados gerais de aves pet higiene da gaiola

Cuidados gerais de aves pet – higiene da gaiola

A pergunta mais frequente sobre cuidados gerais de aves pet que recebemos é “O que vocês usam no fundo da gaiola?” Recomendamos utilizar papel bastante absorvente, como papel toalha, por exemplo. Jornais, somente as páginas que contenham apenas tinta preta, sem tinta colorida. Deve-se evitar papéis que não sejam completamente atóxicos.

O papel deve ser trocado ao menos uma vez ao dia e a bandeja deve ser limpa também. Você pode colocar uma folha de papel que encaixe perfeitamente no fundo da bandeja e sobre este colocar folhas de papel toalha sobrepostas – isto permite a remoção de uma ou duas folhas de papel toalha ao longo do dia, ao mesmo tempo que mantém a área do fundo muito limpa até que a limpeza diária possa ser completamente efetuada. A bandeja e/ou a grade do fundo da gaiola de sua ave deve ser limpa vigorosamente por todos os lados, dentro e fora e nas laterais duas vezes na semana. O restante da gaiola deveria ser limpo completamente e cuidadosamente a cada duas ou quatro semanas – isto se aplica tanto a gaiolas de metal quanto acrílicas.

Justamente por conta de informações profundas sobre as infecções causadas pelo fungo Aspergillus em aves, não recomendamos o uso de NENHUM material flocado (como serragem, por exemplo) no fundo das gaiolas de aves.

Especialistas renomados como Sally Blanchard do Pet Bird Information Council, assim como nós da Ethos Animal, recomendam que se evite completamente o uso de grades no fundo da gaiola de sua ave. As razões iniciais para isso são:

– é virtualmente impossível manter uma grade completamente limpa

– esfregar repetidamente a grade tende a remover o acabamento expondo o metal interno das barras que frequentemente contém uma concentração de zinco insegura para sua ave (tóxica).

Ter isto em mente, juntamente com o fato das grades raramente manterem as aves longe do fundo da gaiola, faz com que se veja as razões de saúde para NÃO usar grades. A ÚNICA exceção é a esta regra é quando se lida com uma ave que põe ovos em excesso. A consideração comportamental contra as grades tem a ver com o relativamente novo entendimento do valor para as aves de poderem descer ao fundo da gaiola para brincar e forragear (procurar comida). Praticamente todas as espécies de papagaios na vida selvagem despendem um tempo considerável no chão todos os dias.

Se permitirmos que eles tenham a oportunidade de fazer isto em suas gaiolas e se dedicarmos algum tempo todo dia no chão junto com nossas aves, estaremos preenchendo uma necessidade instintiva delas. Assim, elas serão mais felizes e naturalmente mais bem comportadas!

Em um próximo artigo, daremos continuidade à série informativa sobre os Cuidados Gerais das Aves Pet!

Aproveite e deixe abaixo seus comentários. Eles serão muito bem vindos!

cacatua de goffin

Cacatuas aprendem como fazer e utilizar ferramentas através de observação

Figaro, uma cacatua de Goffin (Cacatua goffini) mantida em um laboratório de pesquisa na Áustria, atordoou os cientistas alguns anos atrás, quando ele começou espontaneamente a fazer ferramentas (pequenas varinhas) a partir de placas de madeira disponíveis em seu aviário.

Os papagaios da Indonésia não são conhecidos pelo uso de ferramentas em vida selvagem, ainda  que Figaro ativamente empregou suas varetas para retirar nozes de uma caixa aramada. Imaginando se as cacatuas companheiras de Figaro poderiam aprender através da observação de seus métodos, os cientistas planejaram experimentos para uma dúzia delas. Um grupo observava enquanto Figaro utilizava a vareta para alcançar a noz colocada dentro de uma caixa acrílica com uma tela de arame no painel frontal; outras viram “demonstradores fantasma”- ímãs que foram escondidos abaixo da mesa, controlados pelos pesquisadores – retirar as recompensas. Cada ave foi então colocada em frente à caixa, com uma vareta igual a de Figaro nas proximidades. O grupo de três machos e três fêmeas que assistiram Figaro também pegaram as varetas, e fizeram alguns esforços relembrando as suas ações.

Mas apenas aqueles três machos se tornaram proficientes com a ferramenta e retiraram com sucesso as nozes, os cientistas publicaram online no dia 02 de Setembro de 2014, no periódico científico Proceedings of the Royal Society B. Nenhuma das fêmeas tiveram o mesmo sucesso; nenhuma das aves, machos e fêmeas, no grupo do demonstrador fantasma teve êxito também.

Devido ao insucesso total do último grupo, o estudo demontra que as aves precisam de professores vivos, dizem os cientistas. Intrigantemente, os observadores inteligentes desenvolveram uma técnica melhor que a de Figaro para alcançar a recompensa (noz). assim, as cacatuas não estavam copiando exatamente suas ações, mas sim, estavam emulando-as – uma distinção que implica em algum grau de criatividade.

Duas das cacatuas bem sucedidas receberam a oportunidade, posteriormente, de fabricar suas próprias ferramentas. Uma delas o fez imediatamente (como visto no video abaixo), e a outra foi bem sucedida após observar Figaro.

Pode ser que através do aprendizado de como usar uma ferramenta, as aves sejam estimuladas a fabricar suas próprias ferramentas, dizem os cientistas.

Tradução por Helena Truksa

Fonte: http://news.sciencemag.org/plants-animals/2014/09/cockatoos-can-learn-each-other-how-make-and-use-tools